‘Franca não é uma cidade segura para LGBTs’ lamenta representante de ONG

Por samuel.hc em Ter, 31/05/2022 - 13:00

TRIBUNA LIVRE

‘Franca não é uma cidade segura para LGBTs’ lamenta representante de ONG

Durante uso da Tribuna na manhã desta terça-feira, 31 de maio, na 18ª Sessão Ordinária o munícipe Leontter Reche falou sobre Comunidade e Mês do Orgulho LGBT.

Leontter iniciou a fala lamentando os episódios de agressões registrados no município e alertou ‘pessoas LGBT são expulsas de casa todos dias e não tem um abrigo para acolher essas pessoas na cidade de Franca’

Ele acrescentou que além das agressões físicas, existe a questão da violência psicológica sofrida e enfatizou ‘violência institucional também a partir do momento que os nomes sociais não são respeitados. O caso de transfobia que aconteceu na Expoagro é responsabilidade sim do governo do Estado porque tem que garantir a segurança de pessoas LGBTQIA+ dentro de todos os espaços públicos’

Leontter se referiu ao registro do boletim de ocorrência do caso e lamentou que o documento não foi registrado com nome social da vítima. ‘Estou falando em nome do close certo, o primeiro coletivo LGBTQIA+ de Franca e que trabalhou durante a pandemia para prover alimentação para quem precisava, além de roupas e auxílio social e que não é a nossa função, isso é função do Estado’

E lamentou ‘fico muito decepcionado que essa Casa não demonstre o verdadeiro respeito por toda a população LGBTQIA+ e quando vocês forem avaliarem projetos para a comunidade nos chamem para participar’

E por fim concluiu ‘a subnotificação de casos envolvendo racismo, lbgtfobia é gritante. Franca não é uma cidade segura para pessoas LGBTs e isso está mais que provado’

Saiba mais sobre as informações da Câmara Municipal de Franca pelas redes sociais FacebookYoutubeFlickrTwitter Instagram. E também pela TV Câmara pelo canal aberto digital 6.3

(Comunicação Institucional da Câmara)