Procuradoria da Mulher lança cartilha contra violência doméstica

Por bruno.ctp em qui, 25/06/2020 - 18:47
Imagem Principal
A Procuradora da Mulher da Câmara, a vereadora Cristina Vitorino, discursa em lançamento da cartilha "Vire a Página, Mulher"
Texto Principal

A cartilha “Vire a Página, Mulher” foi lançada na tarde de hoje, 25, no CRAM (Centro de Referência de Atendimento à Mulher) de Franca. O material é uma iniciativa da Rede Maria da Penha, um grupo formado por diversos voluntários e entidades. Entre elas, está a Procuradoria Especial da Mulher da Câmara Municipal de Franca (veja mais sobre o órgão aqui e aqui).

O lançamento da cartilha é a segunda grande iniciativa da Rede, que já conseguiu implantar a Patrulha Maria da Penha no município. Em linguagem de fácil compreensão, o material traz informações sobre as principais formas de violência doméstica e familiar, o ciclo dessa violência, o que é um relacionamento abusivo, quais são as medidas de proteção que a Lei Maria da Penha assegura para toda mulher, bem como os endereços e telefones dos principais serviços de atendimento da rede de proteção feminina.

Durante o lançamento, fizeram uso da palavra diversos colaboradores para a produção do material, como a vereadora e Procuradora da Mulher da Câmara, Cristina Vitorino (Republicanos); a coordenadora do Grupo Mulheres do Brasil, Eliane Sanches Querino; o promotor de Justiça Claudio Luis Watanabe Escavassini; o tenente PM Thiago Melo, líder da equipe da Patrulha Maria da Penha no município; e o membro da Comissão de Combate à Violência contra a Mulher da OAB-Franca, Carolina Gonçalves de Oliveira Escavassini.

Todos os cuidados para evitar a propagação do novo coronavírus foram tomados: o evento foi realizado ao ar livre, no jardim do CRAM, e transmitido online (veja aqui)  para evitar aglomeração; foi disponibilizado álcool em gel; e todos os presentes estavam usando máscaras.

Cristina Vitorino forneceu mais informações sobre a cartilha:

O objetivo do material é fazer chegar o conhecimento às mulheres sobre o que é violência e onde ela pode denunciar. Várias pessoas e grupos acreditaram nesse projeto, como o Ministério Público, a OAB, o Mulheres do Brasil, o CME (Conselho da Mulher Empreendedora) e o Conselho Municipal da Condição Feminina. A vereadora, sozinha na Câmara, tinha uma certa dificuldade de dar voz à necessidade das mulheres. Com esse projeto conjunto, somos uma só voz, chegando à população com mais força. A cartilha será distribuída nas UBSs (Unidades Básicas de Saúde) e haverá um link digital para acessá-la.

O promotor Claudio Escavassini concordou com a parlamentar:

Quisemos trazer esse material como mecanismo e como forma de conscientização da mulher vítima de violência doméstica e daquela que não tem consciência dessa situação. Será feita uma distribuição de pelo menos cinco mil exemplares pela cidade, fora os disparos via redes sociais e WhatsApp desse conteúdo.

 Procuradoria

Criada em outubro do ano passado, a Procuradoria Especial da Mulher já está trabalhando a todo o vapor para auxiliar a população francana, segundo a vereadora e Procuradora da Mulher, Cristina Vitorino:

O trabalho da Procuradoria está sendo muito bem visto e recebido pela população. Tomamos providências para resolver os casos das mulheres que atendemos, estou acompanhando de perto os inquéritos e os ofícios encaminhados aos órgãos. Isso já está surtindo efeito na vida das mulheres que nos procuraram.

(Comunicação Institucional Câmara)