Associação de Transporte Escolar pede auxílio à Câmara

Por bruno.ctp em ter, 28/04/2020 - 13:35
Imagem Principal
O representante da Associação de Transporte Escolar de Franca, Ronald Essado, discursa na Tribuna da Câmara esta manhã
Texto Principal

As dificuldades causadas pela crise do novo coronavírus foram tema de uma fala na Tribuna Livre durante o Expediente da 9ª Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Franca, ocorrido na manhã de hoje, 28. Segundo o representante da Associação de Transporte Escolar do município, Ronald Essado, vários motoristas de vans estão enfrentando falta de recursos, pois a categoria não se enquadra nos planos emergenciais dos governos. Ao todo, a entidade possui 167 veículos cadastrados.

“O secretário da Educação [Edgar Ajax dos Reis Filho] nos disse que as aulas voltarão em julho se a pandemia estiver normalizada. Vai uma turma segunda, quarta e sexta, e outra às terças, quintas e sábados, de modo a não gerar aglomeração dentro da sala de aula. Quando chegar essa época, será que nossos veículos estarão em condições de transportar os alunos?”, indagou Ronald.

O porta-voz, então, pediu apoio dos vereadores para viabilizar junto ao Poder Executivo algum tipo de auxílio para os motoristas escolares, seja financeiro seja em forma de cesta básica. Ele também sugeriu que a classe fosse contratada para realizar transporte público alternativo.

Ronald recebeu o apoio de parlamentares como Nirley de Souza (PP), Corrêa Neves Jr. (PSD), Adérmis Marini (PSDB), Marco Garcia (Cidadania) e o líder do Prefeito na Câmara, Tony Hill (DEM). Este último entrou em contato com o prefeito Gilson de Souza (DEM) e marcou uma reunião entre o chefe do Poder Executivo e os motoristas logo em seguida à fala de Ronald.

 

Bancas de pesponto

Ainda durante a manhã, foi aprovado o Requerimento nº 63/2020 referente ao mesmo assunto. O documento, de autoria do vereador Claudinei da Rocha (MDB), solicita ao prefeito a elaboração de um sistema de apoio aos proprietários de bancas de pesponto da cidade, “que foram duramente atingidos pela paralisação da produção das indústrias calçadistas francanas”.

O texto informa que a maioria dos trabalhadores das bancas não foram contemplados por auxílios emergenciais pagos pelo governo federal. A classe é uma das que mais está sofrendo com a pandemia, porque eles não possuem vínculos trabalhistas, seguro desemprego ou assistência médica.

“As bancas sofrem demais. A margem de lucro é muito pequena. Os donos foram pegos de surpresa. O pouco dinheiro que entrou foi utilizado para realizar acertos. Muitos estão com dívidas e passando necessidade. Agora é hora de o prefeito analisar esse pedido e ajudar esse grupo de bancas, que é a base da economia da nossa cidade”, acrescentou Claudinei durante a sessão.

O Requerimento pode ser lido no link: https://sgl.franca.sp.leg.br/attachment/?id=88209. Já o discurso de Ronald está disponível na íntegra pelo Youtube (https://youtu.be/MjHTHNkfn7Q) e Facebook (https://www.facebook.com/camaradefranca/videos/304675000518936/).

(Comunicação Institucional Câmara)