Vereadores na Tribuna – 10/07/2019

Vereadores acompanham a Ordem do Dia da 23ª Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Franca

Confira abaixo um resumo do discurso de cada um dos vereadores que usaram a Tribuna no Expediente da 23ª Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Franca, que ocorreu na manhã de hoje, 10.

 

1) Pastor Otávio lamenta expulsão e comenta preços de combustíveis

Durante o seu discurso, o vereador Pastor Otávio Pinheiro (PTB) lamentou a expulsão do vereador Tony Hill do PSDB, classificando-a como injusta. “No mínimo, era necessário dar um tempo para o vereador refletir sobre ser o líder do prefeito (veja mais aqui: https://franca.sp.leg.br/noticias/2019/07/tony-hill-e-novo-lider-do-governo-na-camara). Lamento que o partido tenha mandado embora uma pessoa que se dedicou a ele. O PTB está com as portas escancaradas para Vossa Excelência. Se o senhor decidir ser o líder do próximo prefeito, jamais o expulsaremos”, garantiu.

O parlamentar também contou como foi a reunião com o promotor de Justiça, Murilo Lemos Jorge na semana passada, em que discutiu o alto preço dos combustíveis juntamente com munícipes e com os vereadores Kaká (PSDB), Carlinho Petrópolis Farmácia (MDB) e Della Motta (Podemos) (mais detalhes aqui: https://franca.sp.leg.br/noticias/2019/07/grupo-reclama-de-preco-de-gasolina-na-camara).

“Na audiência, o promotor nos disse que tem notas fiscais comprovando que a gasolina vendida em todos os postos da nossa cidade a R$ 4,35 é comprada a 3,99”, explicou. Em aparte, o vereador Corrêa Neves Jr. (PSD) informou que o lucro dos proprietários de postos é um dos maiores do estado de São Paulo. O vereador Della Motta (Podemos) também informou que é um absurdo que a motivação do alto preço dada pelos proprietários seja encargos trabalhistas. Finalizando, Pastor Otávio afirmou que irá pesquisar porque o custo de compra de combustíveis em Franca é maior que em outras cidades.

 

2) Della Motta critica lixo na rodovia e postagem de secretário

O vereador Della Motta (Podemos) iniciou a sua fala na Tribuna denunciando o descarte de lixo irregular às margens da Rodovia Nelson Nogueira. Ele visitou o local juntamente com o vereador Kaká (PSDB). “É necessário primeiro uma conscientização, e, em segundo, criar um local de descarte em área de recuo localizada pouco à frente”, sugeriu. Ele também descreveu a visita ao aterro sanitário da cidade, junto com os vereadores Kaká, Adérmis Marini (PSDB) e Marco Garcia (Cidadania), alertando que a vida útil do local irá acabar e será preciso encontrar outro.

Della Motta também comentou críticas que recebeu nas redes sociais do secretário municipal de Recursos Humanos, Luis Roberto Garcia de Oliveira. Este afirmou que os vereadores Della Motta, Kaká, Marco e Adérmis não fizeram nada pela cidade, e disse “já chega da velha política”.  “Estou aqui faz dois anos e meio, eu sou um servidor, estou aqui para servir. Eu não faço parte dessa velha política. Se eu não consigo servir a minha comunidade, é porque vocês não me ajudam. Eu não peço nada pra mim. Gilson, olha quem está próximo de Vossa Excelência”, defendeu-se.

O parlamentar também aconselhou o secretário a ter propriedade antes de falar, e de cumprir a lei do próprio Della Motta de publicar currículo completo no site da Prefeitura (a Lei, de nº 8.733/2018, pode ser conferida aqui: https://franca.sp.leg.br/legislacao/lei-no-8733-de-03-de-setembro-de-2018). 

 

3) Carlinho Petrópolis Farmácia cobra agilidade em demandas da construção civil

 

O vereador Carlinho Petropólis Farmácia (MDB) iniciou sua fala na Tribuna parabenizando os 50 anos do estádio Lanchão. Em seguida, apresentou demandas para o setor da construção civil. “A gente conserta uma coisa, depois vem outras e as coisas caminham devagar”, resumiu. Uma delas diz respeito a demora nas respostas de solicitações feitas à CPFL Paulista. O parlamentar, então, afirmou que irá solicitar mais eficiência nas respostas.

Carlinho também apresentou dados do setor referentes ao mês de junho. Foram 1407 projetos analisados, sendo que 417 foram aprovados e 641 devolvidos para ser corrigidos. Para evitar a entrega de projetos com erros, o vereador informou que foi agendada uma reunião da secretária municipal de Planejamento Urbano, Adailma Ferreira, com os engenheiros e arquitetos da cidade, no próximo dia 17 de julho. “Vamos criar uma cartilha de orientação. Esperamos que, nessa reunião, todos se alinhem. O alinhamento de todos facilitaria as coisas”, afirmou.

 

4) Marco Garcia visita aterro sanitário e cobra coleta seletiva

 

Meio ambiente foi o tema do discurso do vereador Marco Garcia (Cidadania).  Em visita ao aterro sanitário da cidade, juntamente com os parlamentares Adérmis Marini (PSDB), Kaká (PSDB) e Della Motta (Podemos), ele constatou que, diariamente, chegam ao local 350 toneladas de lixo orgânico, 100 de lixo industrial e 180 da estação de tratamento de esgoto.

“Essa é uma situação grave. Preservação ambiental precisa ser ensinada nas escolas, e a Prefeitura precisa realizar uma campanha publicitária agressiva, porque a coleta seletiva gera renda para cooperativas e desafoga o nosso aterro sanitário”, opinou.

Marco alertou para o fato de que a criação de novos aterros exigem desapropriações na ordem de R$ 10 milhões, em terrenos que precisam ser preparados de antemão para receber o lixo. “Também precisamos fiscalizar os grandes produtores de lixo orgânico, como restaurantes e bares, porque muitos não separam o lixo”, cobrou o vereador.

 

5) Kaká pede para que autoridades pensem antes de se posicionar

 

O vereador Kaká (PSDB), em seu discurso na Tribuna, também repercutiu a postagem do secretário municipal de Recursos Humanos, Luis Roberto Garcia de Oliveira, assim como o parlamentar Della Motta.

“Depois que você digitou e falou, é impossível resgatar. Os dedos digitam aquilo que o coração está cheio. Como lideranças, precisamos pensar bem antes de nos posicionarmos. O secretário, por exemplo, poderia propor uma reunião com os vereadores”, posicionou-se.

Em aparte, Della Motta rebateu a acusação que ele, Kaká e os parlamentares Adérmis Marini (PSDB) e Marco Garcia (Cidadania) não buscam recursos para o município, afirmando que verbas do governo federal ainda nem foram liberadas. “Se ele passou o fim de semana tranquilo, os vereadores passaram trabalhando”, disparou. Kaká concordou com Della Motta. “Vamos continuar nossa árdua missão”, finalizou o vereador.

 

6) Cristina Vitorino detalha viagem a Brasília e apoio a Patrulha Maria da Penha

 

Em seu discurso na Tribuna, a vereadora Cristina Vitorino (PRB) contou sobre a viagem que realizou a Brasília na semana passada. “Somos muito criticados porque viajamos e nada conseguimos. Cada vereador tem a sua linha de trabalho e os seus contatos. Não podemos cruzar os braços”, afirmou. Ela explicou que se reuniu com a deputada federal Maria Rosas (PRB), que apoiou lei municipal consistindo na implantação da Patrulha Maria da Penha na cidade de Franca. Além disso, Maria está assessorando a vereadora na comunicação com a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves.

A Lei Municipal nº 8.750/2018, de autoria de Cristina e dos parlamentares Arroizinho (MDB), Della Motta (Podemos), Tony Hill (PSDB) e do presidente da Câmara, Donizete da Farmácia (PSDB), foi a que a instituiu a Patrulha Maria da Penha no município de Franca. Ela pode ser conferida no link: https://www.franca.sp.gov.br/arquivos/diario-oficial/documentos/1130-30102018.pdf.

“Temos que trabalhar firme, com foco, e nosso foco é o hoje. O amanhã pertence a Deus. Procuramos fazer o nosso melhor”, posicionou-se. Cristina finalizou sua fala na Tribuna parabenizando os 42 anos de existência da Igreja Universal do Reino de Deus. “Ela tem salvado muitas vidas, é uma porta que está aberta, que acolhe os carentes e os pobres de espírito”, disse.

 

O discurso dos vereadores pode ser assistido no Youtube através do link: https://youtu.be/O7pk67l8oV8?t=6769.

 

(Comunicação Institucional Câmara)