Vereadores na Tribuna - 16/04/2019

Vereadores sentados durante a 11ª Sessão Ordinária da Câmara Municipal

Confira abaixo um resumo do discurso de cada um dos vereadores que usou a Tribuna no Expediente da 11ª Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Franca, que ocorreu na manhã de hoje, 16.

 

1) Pastor Otávio comenta resultados de viagem a São Paulo

Em seu discurso na Tribuna, o vereador Pastor Otávio (PTB) informou sobre as reuniões que realizou em viagem a São Paulo, nos dias 10 e 11 de abril. Na Secretaria de Educação, debateu a falta de professores auxiliares nas escolas estaduais. O parlamentar informou que medidas já estão sendo tomadas para resolver o problema, como a criação de um departamento estadual especializado em inclusão, e que encaminhou a ata da reunião ao Ministério Público. ““A inclusão não estava tendo a atenção necessária. Os alunos acabam saindo da sala de aula sem aprendizado e alfabetização”, explicou. Em aparte, o vereador Ilton Ferreira informou que todas as creches já contam com monitoras para alunos portadores de deficiência.

Pastor Otávio também relatou audiência com o secretário executivo da Secretaria Estadual de Esportes, Marco Aurélio Pegolo dos Santos, o Chuí, sobre a realização de atividades esportivas no contraturno escolar. O secretário apresentou o projeto Centro de Formação Esportiva, que poderá atender jovens de 10 a 17 anos, cuja implantação será solicitada pelo parlamentar à Prefeitura. Segundo Pastor Otávio, o governo estadual disponibilizará R$ 45 mil para a implantação do programa em Franca.

  

2) Ilton defende conclusões de CEAR sobre transporte público

O vereador Ilton Ferreira (DEM) discursou na Tribuna sobre a polêmica em torno da renovação ou não do contrato do transporte coletivo com a empresa São José. Ele, primeiramente, destacou o trabalho realizado pela CEAR (Comissão Especial de Assuntos Relevantes), que investigou o transporte público em 2017. O parlamentar fez parte da composição da Comissão como o terceiro membro.

Em sua fala, Ilton indicou que nenhum dos membros da Comissão foi procurado pelo Poder Executivo Municipal após o término dos trabalhos. “Apesar de tudo, ainda estamos abertos para conversar a respeito de uma nova licitação”, explicou. O parlamentar acrescentou que segue concordando com as conclusões da Comissão, a qual recomendava, entre outras medidas, criação de setor específico de fiscalização e a quebra de monopólios no setor do transporte coletivo.

 

3) Marco Garcia condena atuação de prefeito

Críticas contundentes ao prefeito Gilson de Souza (DEM) foram o tema central da fala do vereador Marco Garcia (Cidadania) na Tribuna. O parlamentar discordou de um comentário do prefeito ao vereador Adérmis Marini durante reunião na Câmara Municipal na semana passada de que perder a eleição (no caso, a municipal) dói.

“O que doi não é perder a eleição, e sim a falta de recapeamento, aumento de cães na rua sem castração, demora em exames e cirurgias, mães à procura de creche, lentidão no reparo do Relógio do Sol e não cumprir o Orçamento Impositivo”, repreendeu. Marco também condenou promessas feitas pelo chefe do Poder Executivo Municipal, como a construção de um Hospital das Clínicas e um Hospital Veterinário, pelo fato de, na opinião do parlamentar, serem impossíveis de serem cumpridas. No entanto, fez a ressalva de que Gilson ainda tem tempo de fazer algo pela cidade que possa ser lembrado.

 

4) Cristina Vitorino critica saúde e violência contra a mulher

Durante seu discurso na Tribuna, a vereadora Cristina Vitorino (PRB) informou que realizará em breve uma fiscalização completa na Casa da Mulher, cuja construção foi aparentemente retomada após cobranças. Em seguida, criticou a falta de médicos na rede municipal de saúde. “A população precisa de atenção e ser tratada com dignidade. É uma vergonha um munícipe ter que recorrer a vereador para conseguir clínico geral”, indignou-se.

A parlamentar também condenou mais um caso de feminício em Franca: Catiussia Cristina Barbosa do Nascimento morreu no último domingo, 14, em decorrência de inúmeras facadas. “As leis hoje não funcionam, e as mulheres tem pagado com a vida. É doloroso para nós”. Cristina também cobrou que a lei instituindo a Patrulha da Maria da Penha, da qual foi coautora, fosse implementada na prática. “Esse governo tem dificuldade de trabalhar em favor da população”, opinou.

 

5) Adérmis Marini cobra melhor monitoramento nas escolas

O vereador Adérmis Marini (PSDB) iniciou seu discurso na Tribuna se mostrando contrário ao monopólio da empresa São José, responsável pelo transporte coletivo da cidade. Ele também defendeu uma maior abertura nas discussões sobre o tema de modo a diminuir a tarifa e aprimorar o transporte público.

O monitoramento por câmeras das escolas foi alvo de críticas pelo parlamentar. “Escolas estão sendo arrombadas, e a empresa contratada pela Prefeitura não consegue fazer o monitoramento. O contrato está em andamento, mas o serviço não está sendo executado”, reclamou, acrescentando que irá protocolar requerimento questionando a Prefeitura quem será o responsável por repor os objetos furtados. Adérmis finalizou sua fala criticando a decisão do Supremo Tribunal Federal em censurar reportagem que apresentava denúncia contra um dos ministros do órgão.